Categories
ComoFazer

Tinha uma pedra no caminho…

É incrível como sempre tem, né?

Quando fui construir minha casa e os canteiros no entorno, em Maquiné, me deparei com pedras muito grandes enterradas. A melhor coisa é ter a criatividade para integrá-las no seu projeto. Mas nem sempre dá.

Outra vez, um amigo e eu fomos chamados na aldeia Som dos Pássaros, no fundão da linha Solidão em Maquiné, para tirar uma pedra imensa que estava perto da Casa de Rezo. Levamos um poderoso martelete hidráulico, talhadeiras, marreta de 5 kg, luvas, óculos de proteção, alavancas. Passamos a manhã inteira lascando uma massa do tamanho de um fusca, mas não conseguimos ir muito longe. O pessoal então decidiu usar a técnica do fogo: faz-se uma fogueira em cima da pedra, deixando-a aquecer por toda a noite. No dia seguinte, joga-se água fria em cima. O choque térmico vai rachando a pedra aos poucos. O trabalho é relativamente menor, mas é preciso mais tempo. Se for possível cavar ao redor da pedra, melhor ainda: dá pra fazer o fogo mais perto da base e menos calor é perdido para a terra, o que aumenta o choque térmico.

Para minha sorte, nunca tive que lidar no meu quintal com algo tão grande. Com pedras, digamos assim, “médias”, costumo usar a técnica descrita no Livro da Autossuficiência, de Seymour.

Primeiro de tudo, convide alguém para lhe ajudar. Uma pessoa a mais faz TODA a diferença. Por outro lado, trabalhar em três pode ser demais.

Cave ao redor da pedra, até perto da sua base. Será preciso mais do que simplesmente separar a pedra da terra: faça um cone. É comum negligenciar essa parte, pois a gente fica focada em tirar a pedra e faz força e puxa e empurra e da-lhe suor e energia perdida. Então, vai por mim, abra um bom buraco ao redor.

Para que a alavanca funcione direito, é preciso que ela se apoie em algo firme e duro. Raras vezes o solo serve. Na maioria delas, a gente usa uma pedra ou um toco como apoio.

Lembre-se do princípio da alavanca: nossa força é aumentada proporcionalmente às distâncias entre o apoio e as pontas. Assim, tente posicionar o apoio o mais próximo possível da base da pedra (como na figura acima).

Tendo conseguido rolar a pedra um pouquinho para um lado, coloque algumas pedrinhas no espaço disponível embaixo dela.

Vá pra o outro lado e use a alavanca para rolar a pedrona para cima das pedrinhas e liberar espaço do outro lado. Coloque mais pedrinhas embaixo, no espaço que abriu.

Repita o processo lenta e tranquilamente e você verá a pedra subir.

Categories
ComoFazer

Manual permacultural de terraplanagem

Aqui está o PDF do livro em inglês de Douglas Barnes, The Permaculture Earthworks Handbook – how to design and build swales, dams, ponds, and other water harvesting systems (2017).

Embora o grande número de pessoas e o advento da maquinaria tenham acelerado o processo, a degradação das regiões de terras secas tem levado milênios. As catástrofes do Rio Colorado e do Mar de Aral exigiram ambos projetos de engenharia gigantescos. O esgotamento dos aquíferos exigiu bombas elétricas e de combustível fóssil para retirar água a taxas superiores às da recarga. Prejudicar o ambiente não é assim tão fácil de fazer. É necessário um tremendo esforço concentrado para realmente estragar as coisas. Sim, a humanidade fez uma verdadeira bagunça em grande parte do globo, mas não sem gastar triliões de horas de trabalho e quadriliões de quilocalorias nesse trabalho. Colocando de forma simples: quebrar o planeta é um trabalho árduo.

A notícia realmente boa é que, trabalhando em cooperação com a natureza, podemos desfazer a maior parte dos danos que fizemos. E isso levaria uma fração do tempo e da energia que levou a causar os danos em primeiro lugar. Nunca deixo de ficar surpreendido quando, com o tempo e, uma vez atrás da outra, os sistemas degradados começam a retornar imediatamente após a primeira chuva no local de reparação. A reparação da terra é um daqueles raros casos em que a arrumação é mais fácil do que bagunça. Este livro é sobre os primeiros passos para fazer essa reparação.